5 de jun de 2014

DICAS DE VIAGEM, PARIS.












 Que delícia falar desse lugar. Paris, sempre Paris. Em qualquer época. Em qualquer circunstância. Ô cidade mágica. Nada é igual, e nem de longe parecida. Quem não conhece, precisa ter a chance de ir!!!!
Vamos às dicas. Passamos 5 dias e poderíamos ter passado 10, 20, 30 ... cada piscada é um flash. Vou listar, pois acredito que fica mais fácil de ler, ok?
(1) Transporte. O metrô de Paris possui 16 linhas, 14 + 2 menores. Foi o que usamos o tempo todo, além do trem (que usamos umas 2 vezes). Tudo muito rápido, fácil e barato. Usamos passes diários, que nos permitiam uso ilimitado. São 212km e mais de 300 estações. Adoro esse clima de subir e descer escadas admirando os franceses (ou o que quer que sejam), que se apressam para ir ao trabalho, às compras ou sei lá mais para onde. Muita gente elegante, bonita ... muita marmota (é quando a gente se diverte mais). Há sempre artistas tocando sax, violino, cantando ... para ganhar seus trocados. O tempo de espera dos trens nunca foi maior que 4 minutos. Íamos de um canto a outro e a qualquer hora, sem grandes dificuldades. E ainda digo mais, o fato de subir e descer escadas a cada estação ... favoreceu a queima de calorias da comilança parisiense.
(2) Praticamente não usamos taxi, só para ir ao aeroporto. Conhecemos um motorista na chegada e combinamos a corrida da volta com ele. Além do trem e metrô, demos um rolé de tuk tuk (20 minutos) por 25 Euros para aumentar a diversão. Através desse passeio, conhecemos a igreja de la Madeleine e o Grand e o Petit Palais. Enquanto os brasileiros mais abonados alugam Lamborghini e Ferrari, nós alugamos o tuk tuk (rsrsrs).
(3) Torre Eiffel. Impactante. Fizemos dois "stops", um à noite e outro durante o dia. Á noite, iluminada ... um visual romântico e belo. Mas, estava chovendo (garoando). Aliás, o tempo em Paris é assim ... chove e não molha o tempo todo. Adquirir um guarda-chuvas é uma condição para aproveitar os passeios. Mas, atenção ... o local é repleto de imigrantes ilegais que ficam comercializando souvenirs e produtos falsificados. A polícia está sempre realizando batidas para tentar espantá-los, mas eles voltam como formiga. Cuidado com bolsas e pertences.
(4) O Palácio de Versalhes é grandioso e uma super imersão na história francesa. Além da construção gigante, bela e luxuosa ... os jardins são uma obra a parte. Vale a pena. Essa atração foi a única que não conseguimos comprar com antecedência, pois o site não finalizava a venda. Por isso, gastamos mais de uma hora na fila para comprar o bilhete. Se puder, compre antes e evite esse tempo de espera. Estava frio e o que nos ajudou foi o sol que saiu por uns instantes e nos aqueceu durante uma parte desse tempo.
(5) Na saída do Palácio de Versalhes, almoçamos num restaurante próximo chamado Le Dolmen. Quero indicar, pois fomos muito atendidos e a comida era deliciosa. O francês, via de regra, oferece algumas opções de preço fixo no menu que consiste numa entrada, prato principal e sobremesa. E numa dessas escolhas, comemos super bem. O design é moderno e bom gosto e o paladar dos pratos acima da média.
(6) Outro lugar que adorei foi o White Café, próximo a Praça de Trocadero. Um espaço super bacana, todo branco, decor moderno, café delicioso, lanches saborosos e opções de sorvete e bebidas para take out.
(7) Montmarte é imperdível. A dica que recebemos foi ir num domingo. E assim fomos. Que lugar sensacional. O dia estava lindo e menos frio. Um bairro boêmio, bem movimentado e cheio de arte e uma atmosfera fantástica. Lá, visitamos a Basílica de Sacre Coeur. Uma muvuca nas escadarias ... que loucura. Em Montmartre, gastamos umas horinhas gostosas saboreando uma boa cerveja e curtindo um clima dominical exclusivo dali. Almoçamos num pequeno restaurante chamado Le Tire Bouchon. Super típico, música ao vivo ... um músico jovem no piano arrasou com um repertório maravilhoso. A comida não era destaque (comemos crepe, comum), mas o ambiente muito gostoso. Fica em frente ao famoso Le Consulat, que foi (no passado) frequentado por Monet e outros artistas famosos. Foi difícil encontrar lugar para almoçar, estava tudo lotado.
(8) Catedral de Notre Dame. Uhuuu ... incrivelmente gradiosa ... com suas 4 fachadas totalmente diferentes, é sem dúvida, uma atração imperdível. Fica na Île de La Cité, uma das ilhas do rio Sena. Tivemos a chance de entrar na catedral no momento em que estava iniciando a missa do domingo, com todo ritual católico. Emocionante!
(9) Arc de Treomphe e Champs Elysees. Lotação geral. Mas, também imperdível passear por ali. Gente do mundo inteiro circulando e fazendo filas enormes para entrar nas lojas ... Laduree, Louis Vuitton ...
(10) Tivemos a sorte de estar em Paris quando aconteceu a exposição Guerre et Pais, de Cândido Portinari, no Grand Palais. Puxa, valeu a pena. Tudo lindo, organizado e muito orgulho do nosso artista brasileiro.
(11) Museu do Louvre. Fizemos um roteiro compacto, pois você pode passar uns 3 a 4 dias nos corredores do museu para conseguir dar conta de tudo que tem por lá. São mais de 35 mil obras permanentes. Uma monstruosidade. Esse roteio foi uma indicação valiosa de uma revista brasileira, mas meu marido jogou fora e eu fui tonta e não anotei para compartilhar aqui. No entanto, é inegável que a melhor coisa é definir previamente o que você deseja ver na sua visita, priorizando e indo direto em cada uma. A Mona Lisa é incomparavelmente a obra mais fotografada, mais assediada e mais muvucada. Mas é um "tem que ver". A gigantesca obra da Coroação de Napoleão é bastante assediada também, assim como a Vênus de Milo e os escravos de Michelangelo. Enfim, o Louvre não é o maior ... mas é o museu mais visitado do mundo. E, a maior coincidência do mundo ... encontrei lá, andando pelos corredos, uma antiga colega de trabalho e leitora do Opinobox. Eu não ganho na loteria, mas encontro uma amiga no Louvre. ;)
(12) HOTEL. Ficamos hospedados no Ibis Paris Porte de Versailles, em Mairie D'Issy. Não era muito próximo às atrações turísticas, mas tinha uma estação de metrô na esquina e um Monoprix (supermercado francês) na mesma quadra, além de boulangeries, patisseries e muitos restaurantes e lanchonetes. Adoramos, por isso estou trazendo a dica aqui.
(13) COMPRAS. Não fiz, quase. Marido não me dava nem 5 minutos ... usamos nosso tempo passeando, curtindo, andando, explorando, bedendo vinho e cerveja, comendo. Aliás, ainda bem que fiz as minhas compras de maquiagem na Itália, pois em Paris, achei os preços mais altos.
Foi uma viagem incrível, com companheiros maravilhosos, que nos acompanharam em tudo sem o menor stress. Aliás, essa é outra dica. Para viajar, precisamos encontrar companhias que combinem conosco, de forma a aproveitar bem todos os passeios e escolhas. O planejamento, pesquisa, reuniões, compras antecipadas, orçamentos definidos com margens ... e sorte, que também nos acompanhou durante toda a viagem.
Recomendo demais:
(1) TRIP ADVISOR.
(2) GOOGLE MAPS E GOOGLE EARTH.
(3) HOTÉIS.COM E BOOKING.COM
Com eles, tudo ficou mais fácil.
Para ver as dicas dos outros lugares que visitamos nesta mesma viagem, clique a seguir:
1) ROMA
2) FIRENZE E TOSCANA.

AINDA NÃO REVISEI O TEXTO. FUI ESCREVENDO E POSTEI. DEPOIS TIVE QUE SAIR CORRENDO POR CAUSA DE UM AGENDAMENTO. Na volta, farei a revisão.

Nenhum comentário: